Como organizar a Pastoral dos Coroinhas?

Cada grupo de Coroinhas tem suas particularidades, no entanto todos têm o mesmo objetivo: despertar na criança e no adolescente o amor e o zelo pela sagrada Eucaristia – não apenas quando estão servindo ao altar, mas por  toda a sua vida.

Porém, para que os coroinhas sirvam em unidade, é necessário que hajam regras. Elas são imprescindíveis para garantir que o grupo caminhe pela via correta, conforme o comportamento estabelecido. Elas darão suporte ao coordenador para que ele saiba como organizar a Pastoral dos Coroinhas.

Muitos párocos e coordenadores desta pastoral questionam: Como organizar a Pastoral dos Coroinhas? O que pode contribuir para melhorar a formação e o desempenho dos coroinhas em seu serviço? Se essa é também a sua dúvida, vamos te ajudar com algumas dicas.

Apresente a Pastoral dos Coroinha para a Comunidade

Se a sua paróquia ainda não tem a Pastoral dos Coroinhas, o primeiro passo é apresentar essa pastoral para a comunidade. Isso pode ser feito por meio de folhetos que podem ser entregues aos paroquianos no fim da celebração, por meio dos avisos paroquiais, e com um cartaz no mural da igreja. Essas ações são simples, porém uma excelente oportunidade para despertar nas crianças e jovens o desejo de servir como coroinha.

Mas se a sua paróquia já tem essa pastoral, e você quer mais adeptos, uma ótima ideia é organizar um estande nos eventos da comunidade. Neste estande alguns coroinhas podem ajudar a explicar ao público o que é a pastoral e fazer o convite para os interessados em servir a Deus por meio da pastoral.

Não faça dos iniciantes o centro exclusivo de sua atenção

É comum que o coordenador dedique-se totalmente à turminha de candidatos a coroinha e deixe de lado aqueles que já estão no serviço. É claro que os iniciantes precisam aprender o que os veteranos já sabem e que oferecer essa formação a eles demanda tempo. Contudo, não caia no erro de deixar que os coroinhas “formados” caminhem sozinhos por suas próprias pernas.

Os coroinhas precisam ser acompanhados pelo seu coordenador, que é quem vai perceber os acertos que precisam ser melhorados e os erros que devem ser corrigidos. Portanto, além do curso de formação para os calouros, estabeleça encontros mensais, pelo menos, para dar treinamento aos coroinhas, para alimentar sua espiritualidade, etc. E para fortalecendo os vínculos entre todos do grupo (iniciantes ou não), promova encontros de lazer e retiros ou, também, tardes de encontro com as famílias.  

Elabore um estatuto

Um estatuto é um regulamento que apresenta o conjunto de regras que tem a pretensão de organizar, nesse caso, a Pastoral dos Coroinhas. É o estatuto que vai garantir que quando houver a troca do coordenador as regras do grupo continuem as mesmas.

Neste material deve conter informações como: breve histórico do grupo (quando foi formado, quais são seus padroeiros, os valores do grupo, seus objetivos); informações sobre a organização (as funções do coordenador e do vice-coordenador, como e quando deve ser a eleição, e as funções de outros membros); como deve ser a admissão de novos candidatos a coroinha (idade, se é permitido meninas ou apenas meninos); como deve acontecer a formação para os novos coroinhas; como acontecerá a formação continuada para os que já servem na pastoral; a periodicidade dos encontros; as consequências para os que faltam com sua responsabilidade; as vestes definidas;  o comportamento esperado pelos coroinhas nas reuniões e durante o serviço; os deveres do coroinha; o que lhe é permitido; o que lhe é proibido; a conduta do coroinha dentro e fora da igreja; e demais informações importantes para organizar a Pastoral do Coroinha.

Ressaltamos que tudo o que estiver no estatuto precisa ser previamente aprovado pelo pároco. Recomendamos ainda que o estatuto seja entregue para todos os participantes da Pastoral dos Coroinhas. E sempre que possível faça com eles uma leitura dos principais pontos do documento para que refresquem em suas memórias seus direitos e deveres.

Um coordenador precisa ser firme, porém amável

Um líder precisa ser moderado. Se por um lado é necessário haver regras, rigidez em demasia pode comprometer os resultados. Os coroinhas precisam ser conquistados e não obrigados. O coordenador precisa ser amado e respeitado por todos do grupo.

Interessado em mais dicas de como implantar a Pastoral dos coroinhas? Confira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *